Cara Delevingne, Poppy Delevingne e Chloe Delevingne concederam a primeira entrevista juntas para a revista Porter. A entrevista completa sairá na edição 19 da revista, edição de primavera, na qual a capa será com Natalia Vodianova.

Confira parte da entrevista já divulgada abaixo:

Em sua primeira entrevista como um trio, modelo e atriz Cara brinca que se umas de suas irmãs, Poppy e Chloe, matasse alguém “Eu ajudaria a enterrar o corpo”.

As irmãs falaram com a revista Porter sobre as dificuldades que enfrentaram quanto mais jovens. Pandora, mãe delas, sofreu com vicio em heroína antes mesmo delas nascerem e mais tarde foi diagnosticada como bipolar.

Cara, 24, dormiu no quarto de sua irmã Poppy por anos e disse que ambas a ajudaram a se reerguer.

Poppy, 30, quem também é modelo disse “Nós todas aprendemos que vicio e doença mental são doenças e eu acho que muitas pessoas vem como um desequilíbrio químico, é como um câncer,  uma doença e as pessoas precisam ver isso. Então quando alguém me pergunta ‘Você está brava com a sua mãe?’ eu respondo “Não tem nada com o que estar brava.'”

Ela adicionou: “Teve momentos difíceis. Eu tinha 12 anos quando tudo começou a acontecer, e esse é um momento no qual você realmente precisa de uma mãe – tendo sua primeira menstruação, querendo saber o que é o sexo. Cara era seis anos mais nova. Ela dormiu na minha cama por anos. Ela realmente se entrelaçava ao meu corpo quando eu ia tentar dormir. Ter umas as outras foi vital.”

porterdelevingne0702d.jpg

Cara, que se concentrou em atuar em cima de uma carreira de modelagem extremamente bem sucedida, disse de suas irmãs: “Oh meu Deus, é incrível ter essas duas. Eu não sei o que faria sem elas, seria horrível.”

“Nós passamos por tudo juntas. Elas me ajudaram a levantar. Elas me ensinaram meu amor pela música. Nós acostumávamos dançar músicas da Spice Girls, o que ainda fazemos.”

“Eu nunca imaginaria um mundo sem Poppy e Chloe. Coloque assim, caso alguma delas matassem alguém, eu ajudaria enterrar.”

A irmã mais velha, Chloe, 32, ajudante em campanhas de caridade, quem também tem dois filhos acrescentou: “Nós somos muito sortudas, a química entre nós é quase perfeita.”

Poppy irá seguir o caminho de Cara e irá atuar esse ano com papeis em “King Arthur: Legend Of The Sword and Kingsman The Golden Circle”.

Ela muitas vezes procura o conselho de sua irmã mais nova, dizendo: “Ela é tão atleta, Cara, ela é tão ambiciosa. Ela sempre soube o que ela queria e ela é uma pessoa ativa. Às vezes eu chamo ela e eu sou como, você precisa me ajudar a me animar, e ela é como, ‘Vamos!’ “

A revista estará nas bancas de todo o mundo na sexta-feira dia 10/02. 

Fonte: Standard

Cara Delevingne passou uma semana em Uganda onde a atriz conheceu diversos refugiados que estão fugindo do conflito no Sudão. Delevingne escreveu um artigo para a Marie Claire como um “Diário de Bordo”, onde conta como foi passar essa semana com os refugiados e tudo que ela aprendeu nessa viagem.

A SEMANA QUE MUDOU A VIDA DE CARA DELEVINGNE

Um diário de viagem exclusivo de Uganda, onde as meninas refugiadas do Sul do Sudão não querem nada mais do que aprender.

Semana passada eu tive uma das melhores experiencias da minha vida conhecendo refugiadas do Sul do Sudão em Uganda. Eu estava com a “Girl Up” e com a “UNHCR”, a agência das Nações Unidas para os Refugiados, para aprender mais sobre o trabalho que o “UNHCR” está fazendo para responder à crise dos refugiados e ajudar a proporcionar educação para as meninas refugiadas. Meninas forçadas a sair de suas casas, meninas que só querem uma educação, meninas que se preocupam em ser pressionadas a casar antes mesmo de atingirem a puberdade.

Como campeã da “Girl Up”, e da campanha da Fundação das Nações Unidas para unir e capacitar as meninas de todo o mundo, tenho orgulho de aumentar a consciencialização para o seu trabalho, proporcionando aos milhares de refugiados em Uganda e na Etiópia acesso à educação – mas ver de verdade é algo que estava se movendo além das palavras.

Nossa viagem de uma semana começou com visitas a pontos de entrada de refugiados no norte da Uganda ao longo da fronteira do Sudão do Sul. Na verdade, atravessamos as mesmas pontes que os 460.000 refugiados (uma média de 2.000 por dia) que entraram em Uganda apenas nos últimos seis meses.

Quando voltamos do rio, passamos por muitas pessoas caminhando a pé, carregando todos os seus pertences e filhos nas costas. Só de pensar em quantas pessoas estavam fazendo essa jornada com tanta coisa, e andando por semanas… você não pode compreendê-lo. Sua força é incomparável. Conversamos com parceiros da “UNHCR” e funcionários do governo ugandense na fronteira que dão aos refugiados uma refeição quente, serviços médicos e transporte para um povoado onde eles podem começar a reconstruir suas vidas novamente.

“TUDO QUE ELES QUEREM É EDUCAÇÃO, E MUITOS DE NÓS NÃO DA VALOR A ISSO”

No assentamento de refugiados Bidibidi, eu sentei com uma classe de meninas que compartilhavam suas histórias de fugir de casa no sul do Sudão e falavam abertamente sobre o que eles precisam para continuar frequentando a escola. Havia uma menina, ela tinha um fogo incrível, e uma voz muito forte quando ela disse: “É muito simples, é isso que precisamos: precisamos de livros, precisamos de uniformes”. Foi quando me atingiu. O que eles precisam parece tão fácil, tão pequeno para nós, mas é tão importante para eles. Faz você se sentir mimado porque tudo o que eles querem é uma educação, e isso é algo que muitos de nós não da valor.

As meninas da oitava série no assentamento de refugiados Nyumanzi se destacaram para mim porque poderiam ter sido garotas do ensino médio em qualquer lugar do mundo. Eles ficaram abraçando e rindo juntos quando tentamos falar com eles como um grupo. Depois de um pouco, eu me virei para a diretora assistente Anna Up e disse: “Vamos dançar!” Eu entrei na frente da sala, e começamos a ensinar-lhes o slide elétrico. Nós até mesmo fizemos o desafio do manequim:

Assim como as meninas de qualquer lugar, ser bobo é a linguagem universal. Uma vez que elas estavam confortáveis, falamos sobre um monte de coisas, como o que elas queriam ser quando cresceram – duas médicas, uma engenheira, uma professora, duas advogadas, duas jornalistas. Era tão incrível ouvir essas coisas, e ouvir o quanto eles queriam ficar na escola secundária, mas ao mesmo tempo quão difícil era para eles fazerem isso.

Ao longo da nossa viagem, não pude deixar de pensar no fato de que apenas 50% das refugiadas em Uganda estão matriculadas na escola primária, e esse número cai para apenas 5% no ensino secundário. Tantas meninas mencionaram o medo de serem forçadas a casar cedo – tão jovem quanto 11 anos, o que significa que eles estão criando bebês em vez de fazer dever de casa. Muitos abandonam a escola após a escola primária, porque é muito longe para andar para o ensino médio, ou eles carecem de fontes simples, como livros didáticos, canetas e papel. Às vezes, é mesmo a falta de almofadas sanitárias que os mantém em casa

“Tantas meninas mencionaram o medo de serem forçadas a casar cedo – tão jovem quanto 11 anos”

Um dos momentos mais memoráveis para mim foi o acolhimento dos estudantes refugiados no assentamento Bidibidi. Realizaram uma dança especia, com tambores, cantigas, e coreografias. Devia haver mais de cem estudantes dançando. Eu continuei olhando em volta do círculo – o rosto de todos estava completamente iluminado. Foi realmente, realmente mágica a experiência.

Mais tarde, os alunos e professores explicaram que a escola precisa de mais fundos para construir edifícios escolares permanentes. Quebrou meu coração sentar nas barracas que atuam como salas de aula, muitas vezes com 150 alunos ou mais, apertado e de pé ao tentar aprender.

Nossa próxima parada foi a escola de colonização de refugiados de Palorinya, onde eu montei vários cabeçalhos com uma garota que me disse que ela sonha em se tornar uma jogadora de futebol profissional. Ela era muito boa! E ela estava brincando de sandálias!

Antes conversei com ela e com a amiga sobre as viajantes que fugiam da violência no sul do Sudão – era difícil ver a tristeza atravessar de seus rostos quando falavam sobre os combates que testemunhavam e observando pais ou membros da família assassinados diante de seus olhos. Mas uma vez que a bola de futebol foi trazido para fora, houve este momento realmente agradável onde todos nós rimos e tivemos um bom momento, como crianças em qualquer lugar jogando em um pátio. Provou a incrível resistência do espírito humano.

No assentamento de refugiados de Nyumanzi, depois que eu falei com as meninas na sala de aula, eu fui para fora, para o pátio da escola todos nós jogamos descalço (bem, eu estava de meias), futebol com as crianças da área. Eu vi que eles poderiam jogar sem sapatos, então eu teve de experimentar também! Onde quer que nós fomos, havia sempre os grupos de meninos pequenos no fundo que joga o futebol com esta esfera pequena que foi puxada junto com o papel e envolvida com corda. O jogo era que eles não deviam me deixar tocar na bola ou bater nas minhas pernas, e então elas iriam rir e rir. Eu não percebi até esta viagem quanta alegria me dá fazer as pessoas rirem.

No nosso último dia, visitamos o assentamento de refugiados Pagirinya. A escola tem 1.200 alunos, mas precisa expandir suas instalações no próximo ano para permitir a presença de 2.000 alunos. Fiquei outra vez deslumbrada quando falei com as garotas lá, elas não têm muito, mas não querem ser lisonjeadas. Elas são fortes, mulheres independentes, e você pode ver isso na forma como que elas falam. Elas só querem aquela pequena chance, aquele pequeno primeiro passo, esse pequeno dom da educação, que é tão pequeno, mas tão grande que mudará suas vidas para sempre.

Antes de deixar Pagirinya, entramos em um círculo e nos juntamos em jogos ao ar livre com os alunos. Nos esticamos, corremos em círculos e dançamos. Foi um treino! Os professores de Pagirinya falaram abertamente sobre a atenção especial que dão aos alunos com necessidades especiais ou estudantes que sofreram trauma nas zonas de guerra do Sul do Sudão. Apesar de tudo o que tinham passado, todos os alunos com quem conversei tinham espíritos tão fortes e esperançosos para o futuro.

“AO DAR ÀS MENINAS UMA EDUCAÇÃO, VOCÊ ESTÁ DANDO-LHES OS RECURSOS QUE PRECISAM PARA AJUDAR A SI MESMOS”

Eu mencionei muitas estatísticas neste diário. 460.000 refugiados. Esse é um grande número, e é uma coisa estranha sobre estatísticas: pode ser fácil perder de vista a pessoa por trás do número. Mas o fato é que somos todos humanos. Nós somos todos iguais. Alguém em Uganda é o mesmo que seu filho, ou sua irmã, ou seu amigo, ou alguém que você conheceu na semana passada. Ajudar um humano é ajudar um ser humano.

Se, por um momento, você pudesse se colocar no lugar de alguém e perceber o que realmente está acontecendo com eles, que seu mundo caiu sob seus pés, então você realmente faria algo sobre isso. É por isso que estou tão orgulhoso de apoiar a “Girl Up” e o trabalho que estão fazendo para ajudar a dar educação para meninas refugiadas. Realmente, é uma das maneiras mais poderosas para dar às meninas o poder de mudar suas vidas. Ao dar às meninas uma educação, você está dando-lhes os recursos que precisam para ajudar a si mesmos, que é o melhor presente que você pode dar a ninguém.

Fonte: Marie Claire

Cara Delevingne é capa da revista Cleo de Singapura, e a atriz chegou a conceder uma pequena entrevista para a revista, onde conta um pouco sobre seus rituais de beleza e sobre sua parceria com a marca Rimmel London, confira:

loading

Comportamento de modelo

Ela é rebelde. Ela é um ícone. Ela é a definição de Garota Legal. Nós voamos para Londres para falar com um dos rostos mais reconhecíveis da nossa geração, atriz/modelo (não na outra ordem) Cara Delevingne, e acabamos nos apaixonando mais ainda por ela.

Para aqueles que não sabem, o encanto de Cara Delevingne pode ser como um enigma. Aqui está uma garota jovem que estourou no mundo da moda em 2011, com seus 1,73 metros de altura (baixa, segundo os padrões da indústria) e mostrando as sobrancelhas mais magnificas e grossas. Ela não se encaixa nos padrões de beleza tradicional, mas ainda assim o pretensioso mundo da moda pareceu muito empolgado para colocá-la nas marcas mais cobiçadas da estação, incluindo Karl Lagerfeld, o padrinho da moda, que fez dela a sua musa.
Para aqueles que sabem, ainda é difícil colocar um dedo no que é o encanto de Cara Delevingne. Talvez seja sua atitude ousada e tranquila, talvez sejam as caras bobas que ela faz, ou talvez seja a honestidade cru que você vê quando ela fala dos problemas pessoais dela – de depressão à psoríase, ela mostra tudo isso de forma tão fácil. Não sseria demais dizer que ela não é o que você esperaria de uma das modelos e atrizes mais procuradas no mundo – sem filtro, despreocupada sobre acompanhar as aparências e, mais importante, sem remorso sobre quem ela é, mesmo se ela não obedece às normas da sociedade.
Nestes dias, você está mais sujeito a ver essa mulher de 24 anos nas telonas do que na passarela. Em 2015, ela estrelou no seu primeiro papel grande como Margo em Cidades de Papel, uma adaptação do livro de mesmo nome do John Green (Quem é você, Alasca?, A Culpa é das Estrelas). Ano passado, ela teve o papel da vilã Magia no muito esperado Esquadrão Suicída. Neste julho, os fãs podem esperar pela sua primeira aparição em um filme de ficção científica com Valerian e a Cidade dos Mil Planetas, baseado na história em quadrinhos francesa Valérian and Laureline.
Vendo como a mulher multi-tarefas de Londres tem as palavras “Made in England” (feita na Inglaterra) orgulhosamente tatuada na sola do seu pé esquerdo, não é surpresa nenhuma que ela seja o atual rosto da clássica marca de beleza britânica, Rimmel London. Nós sentamos com ela para conversar sobre a rotina de cuidados com a pele, makes favoritas e, claro, como ter sobrancelhas grossas tão facilmente como ela tem (nossas palavras, não as da Cara).

O que você acha de todos serem obcecados pela suas sobrancelhas?
C: É muito fofo. Eu fico muito lisonjeada, obviamente, porque quando eu era criança, eu tinha vergonha delas, ou meio que com medo delas – porque elas são muito grandes. Então é muito legal agora, especialmente para inspirar outras garotas a ficarem confortáveis com as sobrancelhas delas; eu acho que isso é o mais importante pra mim.

Qual é a sua rotina de sobrancelhas?
C: Ter certeza de que elas estão na forma certa- então aparando elas e depois usando o gel Brow This Way para mantê-las na forma.

Você tem alguma dica para garotas com sobrancelhas grossas?
C: Eu diria: as mantenha o mais incontrolável possível, mas obviamente não muito incontroláveis. Deixá-las na forma natural ou deixá-las como você quer. Tipo, ás vezes, eeu as deixo completamente grandes, dependendo de como eu me sinto.

Qual é o melhor truque para seus cílios parecerem maiores?
C: Eu tento colocar alguns produtos de condicionador nos meus cílios. Eu sou sortuda de ter cílios longos- graças à minha família. Eu uso curvex. Ás vezes, coloco cílios postiços. Mas eu sempre tento ter certeza de pegar todos os fios quando passo rímel.

Como você normalmente faz seu delineado?
C: Eu normalmente faço um olho de gatinho, e também uso um delineador mais claro por dentro para fazê-lo aparecer mais. Apenas um olho de gatinho e aí um pouco de sombra na dobra do olho.

Qual a sua melhor dica de cuidados com a pele?
C: Eu uso produtos muito naturais. Eu uso uma coisa ótima que são os produtos da linha Skin Goddess, que são muito naturais, e apenas mantendo minha pele bem hidratada – especialmente quando viajo muito – bebendo muita água, não ficar tirando espinhas. Isso é sempre a chave. Mesmo sendo difícil e eu fazendo isso o tempo todo – mas tente não fazer!

Qual é a sua maquiagem do dia-a-dia e quais tipos de produtos você usa?
C: De manhã, eu só levanto e lavo meu rosto. Se eu estiver viajando, eu estarei cansada, então eu usarei uma base respirável e rímel Scandaleyes. Se eu for sair a noite, eu definitivamente usarei um delinador também, um delinado forte, ou talvez só um batom vermelho. Mas é meio simples – nada muito louco.

Você sem dúvida teve inúmeras chances de fazer parceria com diversas marcas cosméticas – o que fez da Rimmel London a certa pra você?
C: Eu tenho uma tatuagem no meu pé que diz “feita na Inglaterra” – eu tenho muito orgulho de ser britânica e eu acho que a Rimmel London é aquele tipo de marca clássica, muito jovem, britânica-com-muita-atitude. O “look Londres” é diferente para todo mundo. É muito único para todas pessoas; não é um look especial – é aceitar quem você é, e achar quem essa pessoa é e abraçar essa pessoa.

Como você acha que as redes sociais mudaram o jeito que as pessoas se sentem e e interagem com a maquiagem?
C: Eu acho que as redes sociais são uma ótima ferramenta para as pessoas aprenderem com umas as outras – como tutoriais e fazer coisas diferentes com maquiagem, usando produtos em lugares diferentes do que eles deveriam e coisas assim.

Aprenda o look de Londres da Cara: Eu apenas uso algo simples, tipo eu usaria calças pretas, uma camiseta, jaqueta de couro… e para maquiagem, eu só usaria rímel e provavelmente uma base respirável se eu estiver parecendo cansada. Cabelo bagunçado, cabelo de quem acaba de acordar. Sem sapatos também!

 

Entrevista traduzida por Natasha Camila Campi da equipe do CDBR

Nesta última quinta-feira (17/11) Cara Delevingne esteve em Nova York para participar da inauguração da loja H&M, a modelo foi a responsável por cortar o grande laço de abertura da loja ao lado do presidente da H&M norte americana.

Delevingne falou um pouco sobre a H&M e sobre a abertura da loja com jornalistas, confiram matéria da revista Vogue contendo falas de Delevingne.

56

Quando se trata de ícones milenares na moda, você não pode fazer muito melhor do que Cara Delevingne. A atriz-modelo sempre se divertiu expressando-se com roupas. Delevingne joga com a moda e as expectativas de seu público, seja em seu discreto guarda-roupa off-duty de instrutores e roupas de treino, ou na entrega da sofisticação do tapete vermelho em sua última estréia. “Eu acho que seria muito engraçado se eu estivesse usando o que eu usava em tapetes vermelhos todos os dias”, brincou Delevingne na inauguração da H&M no World Trade Center desta manhã. “Eu gosto dos extremos da [moda] e eu amo estar confortável e confiante no que estou usando.”

A confiança de Delevingne permitiu que ela testasse uma variedade de olhares. Burberry, vestidos de alta costura e ternos elegantes compõem uma parte do seu armário, mas também fazem parte de suas viagens as lojas baratas e acessíveis. Sempre em uma busca por grandes princípios, Delevingne acha que H&M é usado sempre, é o que ela usa na necessidade de uma moda à prova de falhas. “Para mim, é sempre sobre aquelas peças de grampo, um par de calças  skinny pretas, ou esses casacos de bombardeiro de estilo japonês maliciosos, coisas que você pode usar com tudo”, diz Delevingne. “Eles têm tudo e atendem a todos, o que é a coisa maravilhosa sobre a H&M”.

Embora ela seja conhecida por aqueles looks casual-chic, ela nunca foi um rato de shopping, crescendo na Inglaterra, onde o shopping de rua é a norma. “Eu nunca tinha ido a um shopping antes de vir para a América, realmente. Eu acho que Westfield foi provavelmente o primeiro que eu fui”, diz ela. “Adoro fazer compras, então eu acabo gastando e recebendo muito mais – é uma ótima maneira de passar o dia, especialmente quando você tem a comida certa”.

Mesmo com sua apreciação em shoppings ela ainda tem eventos onde comparece. Indo para um oposto, em vestidos dramáticos de Alexander McQueen ou Chanel, ela aborda cada novo look como se fosse seu próprio papel. “Quando eu estou me vestindo, definitivamente sinto que há um papel que estou atuando”, diz Delevingne. Ela prepara para suas grandes noites com um pouco de ajuda de seus amigos. “Eu adoro me preparar com os amigos, colocar música, e dançar ao redor enquanto nós estamos ficando prontas – estar confortável é divertido também. . . Você coloca uma roupa de treino ou um tênis e vai relaxar e assistir a um filme. “

Recentemente, ambos os lados da personalidade de Delevingne foram expostos. Movendo-se perfeitamente das passarelas para papéis de alto nível em sucessos como em Esquadrão Suicida, ela teve muitas oportunidades para mostrar seu estilo. Mesmo com estreias, aberturas, festas, e o negócio de ser uma estrela em ascensão, seu foco permanece no retrato grande. “Desde que eu era criança eu queria atuar, então eu me sinto extremamente grata e feliz por ter a oportunidade de trabalhar com meus ídolos”, diz Delevingne, que acabou de filmar o thriller de ficção científica Valerian e a Cidade dos Mil Planetas Com Luc Besson. “Eu só quero ser capaz de continuar o que estou fazendo, inspirando meninas e retornando o máximo possível. Deixando as meninas saberem que podem fazer qualquer coisa que quiserem se ajustarem suas mentes a ela e seguirem seus sonhos e nunca desistir”.

Fonte: Vogue

Com o primeiro trailer de “Valerian” saindo em poucos dias, e a expectativas sobre o filme aumentando Luc Besson concedeu uma entrevista ao site Collider, no qual o diretor francês fala sobre o processo de filmagem, edição e claro o porque escolheu Delevingne para o papel de Laureline.

Confira algumas partes da entrevista traduzida abaixo:

“A primeira mulher por a qual me apaixonei foi provavelmente Laureline. Ela era totalmente livre e durona e era uma heroína muito moderna na época (Luc Besson tinha 1o anos quando começou a ler os HQ) então eu era totalmente apaixonado por ela” Luc Besson sobre Laureline.

valerian-and-the-city-of-a-thousand-planets-cara-delevingne-dane-dehaan

Eu tenho que perguntar sobre a seleção dos atores, você mencionou esse personagem pelo qual você era apaixonado aos 10 anos; Então como foi escolher essa garota dos sonhos que você teve uma queda por praticamente a vida toda? 

Besson: Eu estou feliz que tenho 50 anos agora porque se eu tivesse feito o filme aos 25 anos, com certeza eu estaria apaixonado por Cara (Delevingne) mas eu tenho 50 anos e ela é muito nova então é algo bem mais amigavel e profissional. Eu só precisava achar essa atriz com um pouco de brilho fugaz, com um humor, e meio louca, o que ela é. Cara tem tudo isso naturalmente. Ela é meio Laureline do nosso mundo hoje.

{…}

 

Não são todos, sou eu e você.

Besson: Mas você sabe o que eu quero dizer, certo? Eu gosto de todo tipo de filme se ele é bem feito. Estou bem. Eu não sou um especialista lutando por um gênero de filme. Você apenas tem que seguir o seu instinto. Conheço Laureline há 40 anos e conheci Cara e sei que é ela, é isso. E você pode me dizer o que quiser, “Oh ela nunca atuou antes” ou “Ela é uma modelo”, ou seja o que for. Eu não disse sim de imediato, eu a testei muito profundamente … muito dificilmente, foi muito difícil. Mas eu acho que foi como se ela está passando pelo processo e se ela é boa no final ela pode obter a parte e, em seguida, ela obteve o papel.

{…}

valerian-and-the-city-of-a-thousand-planets-aliens-image

Quanto tempo tem o filme?

Besson: Duas horas e nove minutos.

{…}

Você está escrevendo suas ideias para alguma seguência?

Besson: Sim, sim. eu estou escrevendo a todo momento. Eu já estou escrevendo Valerian 2 e 3.

valerian-and-the-city-of-a-thousand-planets-dane-dehaan

Se você fosse fazer outro filme, você faria duas e três juntas de volta para trás, como Peter Jackson fez ou você acha que há um elemento onde você realmente quer fazer isso um de cada vez?

Besson: Não, não importa, eu diria provavelmente um por um. Eu acho que é bom também que os atores como Dane entre entre um filme e outro, vá fazer mais filmes, Cara também. Então eles voltam com novas experiências e talvez eu faça algo, então você tem ainda mais prazer de ver uns aos outros novamente. Assim, dois em seguida será muito longo.

{…}

E aqui está a sinopse oficial do filme:

Enraizada na clássica série de novelas gráficas, Valerian e Laureline – visionário escritor e diretor Luc Besson avança este material de fonte icônica em uma saga de ficção científica contemporânea, única e épica. Valerian (Dane DeHaan) e Laureline (Cara Delevingne) são agentes especiais para o governo dos territórios humanos encarregados de manter a ordem em todo o universo. Valerian tem mais em mente do que um relacionamento profissional com sua parceira – descaradamente perseguindo-a com proposições de romance. Mas sua extensa história com as mulheres, e seus valores tradicionais, conduzem Laureline a rejeita-lo continuamente. Sob a direção de seu Comandante (Clive Owen), Valerian e Laureline embarcam em uma missão para a cidade intergaláctica de tirar o fôlego de Alpha, uma metrópole em constante expansão composta de milhares de espécies diferentes de todos os quatro cantos do universo. Os dezessete milhões de habitantes de Alpha convergiram ao longo do tempo – unindo seus talentos, tecnologia e recursos para a melhoria de todos. Infelizmente, nem todos em Alpha compartilham esses mesmos objetivos; Na verdade, forças invisíveis estão trabalhando, colocando nossa raça em grande perigo.

O filme tem estreia mundial marcada para o dia 21 de Julho de 2017 e o filme terá uma versão 3D, RealD e IMAX. Para conferir a entrevista completa basta clicar AQUI

Fonte: Collider





Facebook
Instagram
Parceiros
  • Blake Lively Brasil