“Harvey Weinstein é acusado de estupro por três mulheres e gravação mostra tentativa de abuso” G1

Cara Delevingne divulgou declarações pessoais através de seu perfil no Instagram, hoje, detalhando dois “incidentes” entre ela e Harvey Weinstein, acrescentando à crescente lista de mulheres que apresentaram alegações de assédio sexual contra o famoso produtor cinematográfico.
Harvey Weinstein no Festival de Cannes em 2015 (Foto: Loic Venance/AFP)
Harvey Weinstein no Festival de Cannes em 2015 (Foto: Loic Venance/AFP)
Good Will Hunting, Pulp Fiction e Project Runway são alguns dos filmes e programas de TV mais famosos da Harvey Weinstein, Cara Delevingne, que estrelou o próximo filme da The Weinstein Company, estúdio cinematográfico independente norte-americano fundado por Harvey, Tulip Fever, divulgou sua declaração ao Yashar Ali do site HuffPost, detalhando dois encontros separados com Weinstein.
Imagem relacionada
Cara Delevingne como Henrietta no filme Tulip Fever (2017)
De acordo com com a atriz de 25 anos, o primeiro assédio ocorreu durante um telefonema com Weinstein, no qual ele fez perguntas pessoais sobre sua sexualidade, especificamente se ela estava dormindo com mulheres e avisou que ter uma relação pública com outra mulher prejudicaria sua carreira em Hollywood.
Declarações da atriz Cara Delevingne sobre os assédios ao jornalista Yashar Ali do site HuffPost,
Nos últimos anos, Cara Delevigne falou com franqueza sobre sua sexualidade, criticando qualquer pessoa que acreditasse que suas relacionamentos com mulheres fossem “apenas uma fase”. A atriz estava anteriormente em uma relação com a musicista Annie Clark.

Cara diz que se encontrou em um quarto de hotel com Weinstein e outra mulher para uma reunião de negócios. Ela afirma que o famoso produtor cinematográfico pediu às duas mulheres que se beijassem, e então tentou beijá-la enquanto bloqueava a porta.

 

“Quando comecei a trabalhar como atriz, estava trabalhando em um filme e recebi um telefonema de Harvey Weinstein perguntando se eu tinha dormido com algumas das mulheres com quem fui vista publicamente. Foi uma chamada muito estranha e desconfortável … Não respondi nada das suas perguntas e apurei o telefone, mas antes de desligar, ele me disse que se eu fosse gay ou decidisse estar com uma mulher especialmente em público que eu nunca iria conseguir o papel de uma mulher hetero ou torná-lo uma atriz em Hollywood. Um ou dois anos depois, fui a uma reunião com ele no lobby de um hotel com o diretor sobre um próximo filme (Tulip Fever). O diretor saiu da reunião e Harvey me pediu para ficar e conversar com ele. Logo que estávamos sozinhos, ele começou a se gabar de todas as atrizes com quem ele tinha dormido e o que ele tinha feito de suas carreiras e falou sobre outras coisas inadequadas de uma natureza sexual. Ele então me convidou para seu quarto. Eu rapidamente declinei e perguntei a sua assistente se o meu carro já estava esperando por mim. Ela disse que não e que demoraria um pouco e que eu poderia ir para seu quarto esperar. Naquele momento eu me senti muito impotente e assustada, mas não queria agir dessa maneira na esperança de estar errado sobre a situação. Quando cheguei ao quarto, fiquei aliviada por encontrar outra mulher no quarto e pensei que estava a salvo. Ele nos pediu nos beijar e ele começou com avanços em nossa direção. Eu rapidamente levantei-me e pergunte-lhe se ele tinha conhecimento que eu sabia cantar. E eu comecei a cantar… Eu pensei que faria a situação melhor…. mais profissional….como uma audição…. Eu estava tão nervosa. Depois de cantar, eu disse que tinha que sair. Caminhei até a porta e fiquei na frente dele e ele tentou beijar-me nos lábios. Eu o impedi e consegui sair da quarto. Eu ainda tenho o papel para o filme e sempre pensei que eu me dei por causa do que aconteceu. Desde então, fiquei mal que fiz o filme. Senti que não merecia o papel. Eu estava tão hesitante em falar…Não queria magoar a família dele. Eu me senti culpada como se eu tivesse feito algo errado. Estava aterrorizada pelo fato de esse tipo de coisa ter acontecido com tantas mulheres que conheci, mas ninguém disse nada por medo.”

Palavras de Cara Delevingne em seu post no Instagram, embutido abaixo:

When I first started to work as an actress, i was working on a film and I received a call from‎ Harvey Weinstein asking if I had slept with any of the women I was seen out with in the media. It was a very odd and uncomfortable call….i answered none of his questions and hurried off the phone but before I hung up, he said to me that If I was gay or decided to be with a woman especially in public that I’d never get the role of a straight woman or make it as an actress in Hollywood. A year or two later, I went to a meeting with him in the lobby of a hotel with a director about an upcoming film. The director left the meeting and Harvey asked me to stay and chat with him. As soon as we were alone he began to brag about all the actresses he had slept with and how he had made their careers and spoke about other inappropriate things of a sexual nature. He then invited me to his room. I quickly declined and asked his assistant if my car was outside. She said it wasn’t and wouldn’t be for a bit and I should go to his room. At that moment I felt very powerless and scared but didn’t want to act that way hoping that I was wrong about the situation. When I arrived I was relieved to find another woman in his room and thought immediately I was safe. He asked us to kiss and she began some sort of advances upon his direction. I swiftly got up and asked him if he knew that I could sing. And I began to sing….i thought it would make the situation better….more professional….like an audition….i was so nervous. After singing I said again that I had to leave. He walked me to the door and stood in front of it and tried to kiss me on the lips. I stopped him and managed to get out of the room. I still got the part for the film and always thought that he gave it to me because of what happened. Since then I felt awful that I did the movie. I felt like I didn’t deserve the part. I was so hesitant about speaking out….I didn’t want to hurt his family. I felt guilty as if I did something wrong. I was also terrified that this sort of thing had happened to so many women I know but no one had said anything because of fear.

Uma publicação compartilhada por Cara Delevingne (@caradelevingne) em

 

Muitas pessoas agradeceram a Cara Delevingne por sua honestidade e bravura ao compartilhar sua história.

Ainda em seu Instagram, a atriz compartilhou com seus seguidores uma mensagem pessoal dirigida a outras mulheres que podem ter sofrido experiências semelhantes. “Eu quero que as mulheres e as meninas saibam que ser assediado, abusado ou estuprado NUNCA é culpa delas e não falar sobre isso sempre causará mais dano do que falar a verdade”, escreveu ela.
Categories: Notícias