Cara Delevingne, 22, conversou com o Daily Mail Austrália (DMA) no tapete vermelho de eu novo filme Cidades de Papel no domingo a noite em Sydney, Austrália.

“Eu acho que todo mundo tem o direito de ser qualquer coisa que queira ser, eu estou muito feliz”

Ela disse que mudar o rosto do mundo, particularmente sente mais aceitação desde alguns meses atrás após Caitlyn Jenner. Ela diz que os Estados Unidos introduzir o casamento gay em todo o território é “maravilhoso”

“Eu acho que é maravilhoso que você sabe, está sendo aceito mais e mais”

Apesar de ter dito a Vogue que ela demorou muito tempo para se abrir sobre sua sexualidade, ela diz ao DMA:

“Eu sempre fui muito aberta sobre mim desde o começo”

Nunca tímida, ela também tem uma mensagem para o primeiro ministro australiano, que ainda tem de introduzir o casamento homossexual.

“Tony Abbott é melhor você ouvir o resto do mundo e continuar. Vá com ele” Ela disse.

Cara está namorando a cantora St. Vincent, verdadeiro nome é Annie Erin Clark, 32 anos.

Apesar da boa reação que ela vem recebendo pela atuação, isso ainda não é algo que ela está disposta a desistir da modelagem para.

“Você sabe, eu sinto que estou em uma posição de muita sorte. Eu não vou desistir, eu apenas não estou modelando tanto porque eu estou trabalhando e atuando.”

“Não, eu não gosto de pendurar chapéus, eu gosto de mantê-los.”

Depois de trabalhar com Hugh Jackman em outro projeto, ela disse que adoraria trabalhar com outros atores australianos, mais notáveis Nicole Kidman ou Cate Blanchett.

Ouvimos suas potenciais escolhas, e ela disse: “Os meninos Hemswoth, eu não sabia que eles eram australianos porque eu sou uma idiota. Nicole, me de Cate.”

Mas quando perguntada pelo DMA se ela gostaria de estrelar ao lado de Ruby Rose – uma outra modelo que se tornou atriz, e recentemente se juntou a “Orange is the New Black’ para a terceira temporada – Cara fica confusa a respeito.

“Eu já ouvi falar sobre ela, mas eu não sei quem ela é” Ela disse antes de alterar rapidamente seu comentário, insistindo: “Eu sei exatamente quem ela é”

Ela também disse que apesar de aparecer no palco com Taylor Swift na semana passada e estar na música, ela não vai ir para esse lado por tempo integral ainda.

“Eu sempre vou fazer música…Se eu fosse fazer música, eu teria que tirar um tempo e colocar meu coração e minha alma nisso. E agora eu não tenho um coração ou uma alma para fazer isso. Eu estou brincando. Ele está aqui agora, mas eu preciso compilá-lo”

Bem como ansiosa para estrelar ao lado de outras estrelas australianas no futuro, Cara admitiu que ela também gosta do termo ‘Bogan’.

“Eu vi bogans em todos os lugares, mas eu os uso como termo carinhoso. Isso é o que todas as estrelas de filme me chamam!”

Andando o tapete vermelho do evento, em Westfield Miranda de Sydney, Cara escorria glamour vestindo uma criação do designer australiano, Dion Lee.
Ela acompanhou o conjunto do glam com os pretos saltos simples Yves Saint Laurent que acentuavam suas pernas.

Quando perguntado se ela pode associar-se com a deusa inatingível que é Margo, ela bufa.

“Bolas! As pessoas têm definitivamente me colocado assim, você é a supermodelo mas eu não sou essa pessoa. Eu sou uma bobona.”

Na verdade, ela diz, que era “muito menos confiante” do que Margo quando ela estava em sua adolescência.

Delevingne, que está na Austrália por apenas dois dias, começou sua carreira no cinema com uma parte sem falas na adaptação filme de Anna Karenina, 2012.
Fazer a transição da modelagem à atuação não foi difícil, no mínimo, diz ela.

“Eu queria atuar desde que eu tinha quatro anos, por isso desde que eu tive a oportunidade, não há tempo para fazê-lo difícil Eu nunca estive mais feliz do que fazendo este trabalho e trabalhar com as pessoas com quem estou trabalhando.”

Delevingne, que também canta e toca bateria e guitarra, tem um cronograma de filmagem embalado pela frente.
Ela está atualmente filmando Esquadrão Suicida ao lado de Margot Robbie e também assinou contrato para estrelar a nova adaptação de Luc Bessons, Valerian ao lado de Dane DeHaan.

 

Fonte: Daily Mail

Nesse domingo (05/07), Cara Delevingne compareceu á estréia de Cidades de Papel em Sydney, onde concedeu uma entrevista ao site POPSugar Australia, falando sobre sua carreira de atriz, sua colega de trabalho no filme “Esquadrão Suicída” Margot Robbies, e sobre sua amiga e cantora Taylor Swift, confira:

Assim que ela pisou no tapete vermelho na estréia de Papel Cidades em Sydney, ela deixou claro: essa mulher é uma atriz por completo. Expressiva, engraçada, carismática, ela é mais feliz em uma grande multidão de pessoas (que ela pode comandar em um instante) e ela é tem o prazer de conversar com todos. Questionada sobre os rumores de que ela está se retirando da carreira de modelo, Cara sempre os nega. Menciona o amor e tudo que vem com ele, Cara não menciona sua namorada St. Vincent, mas ela sorri e diz que é algo que todos podem relacionar.

Ela é um livro aberto e a absolutamente badalada: cheia de energia, alta, com um sotaque Inglês ligeiramente bom, incluindo piadas a cada frase… Você rapidamente tem a impressão de que nada pode colocar esta menina para baixo. Continue lendo nossa conversa no red carpet com Cara!

PopSugar Austrália: Você acha que atuar é um ajuste melhor para você, porque você começa a se expressar mais do que com a modelagem?

Cara: Sim, eu me sinto muito a vontade, e mais feliz fazendo isso [atuando]. Quer dizer, eu não vou parar de modelar, mas essa é a minha paixão, então é isso…

PS: É sempre bom mudar um pouco as coisas?

Cara: Exatamente!

PS: Você tem feito muitas coisas legais com sua amiga Taylor Swift recentemente. Qual foi a melhor até agora?

Cara: Provavelmente andar no palco em Londres. Carregar a bandeira foi incrível… e todos os meus primos estavam lá também por isso foi muito agradável.

PS: Você tem trabalhado com uma das nossas Aussies, Margot Robbie, no Esquadrão Suicida. Como foi isso?

Cara: Ela é uma das melhores pessoas que eu já conheci, eu amo tanto a Margot. Trabalhar com ela e passar a conhecê-la foi uma das melhores coisas que já fiz.

PS: Ela está a maior parte do seu tempo em Londres ultimamente, certo?

Cara: Sim, ela vive em Londres! Eu acho que está. Espere, não é? [Risos].

PS: Você poderia nos dar o seu melhor face “Cara”?

Cara-Delevingne-Interview-Paper-Towns-Sydney-Premiere

Cara Delevingne esteve em Madrid no dia 15 de junho para a turnê europeia de lançamento do filme Cidades de Papel e durante sua passagem pela cidade a atriz compareceu ao programa espanhol El Hormiguero.

Foram divulgados pela televisão espanhola dois comerciais no qual Cara Delevingne aparece durante sua aparição no programa que vai ao ar no dia 18 de julho.

Confira os comerciais nos vídeos a seguir:

Confira fotos de Cara Delevingne no programa de TV sincronizando nas miniaturas abaixo:

15~65.jpg13~72.jpg21~50.jpg16~62.jpg

 

Cara Delevingne está se preparando para assumir a tela de prata no filme Cidades de Papel.

Cara Delevingne ama bogans. (Uma besta fascinante. A maioria das espécies estão na Tasmânia, na Austrália há duas raças de bogans.)

A atriz britânica virou uma fã da palavra — e até mesmo chama sua Aussie (pessoa da Austrália) co-estrela Margot Robbie de um.

Reprodução textual: Jonathon Moran; Escritor de entretenimento do The Sunday Telegraph

“Ela é uma absoluta bogan,” Cara Delevingne diz ao telefone com sua co-estrela do filme Esquadrão Suicida, antes de adicionar rapidamente: “não, ela não é muito, mas eu adorei a palavra. Eu digo ‘bogan’ o tempo todo.”

Nascida para a classe alta britânica, ela é agora, sem dúvida, um dos nomes mais poderosos da moda.

Tendo iniciado modelagem aos 10 anos, a garota de 22 anos de idade tornou-se a voz de sua geração, com 14 milhões seguidores no Instagram adorando seu peculiar estilo de Britânica.

Cara Delevingne ainda não sabe quais são suas aspirações para atuar, mas está animada para começar.

A garota tatuada na capa da Vogue tem fechado campanhas para marcas internacionais incluindo Burberry, DKNY, Yves Saint Laurent e Chanel.

Ela também tem sua própria coleção para Mulberry.

Agora Delevingne está a caminho para consolidar-se como uma atriz, com cinco grandes filmes de Hollywood que devem ser lançados antes do fim do ano e mais em andamento.

Ela vai andar no tapete vermelho para seu primeiro papel principal, em Cidades de Papel, no evento Cinema do Westfield Miranda

“Só quero que as pessoas sejam capazes de perder quem eu sou, eu acho que é o maior desafio,” diz Delevingne.

Cara Delevingne como Margo, no filme “Paper Towns”

Os críticos elogiaram o desempenho bruto ainda impressionante de Cara Delevingne no filme dirigido por Jake Schreier. Ela interpreta a adolescente indescritível Margo Roth Spiegelman, que desaparece, deixando seus amigos para trás para procurar por ela.

“Foi uma grande jornada e tal, ela é um enigma tão surpreendente de um personagem e eu apenas me apaixonei por ela assim que eu li o roteiro e o livro”, diz Delevingne.

“Você tem esse sentimento que você quer conhecê-la e você quer descobri-la e pensar nela, é tipo como me senti e como eu queria que o público sentisse quando assisti-la”

Entre qualquer semelhança sua e da adolescente Margo, Cara Delevingne acrescenta: “Eu definitivamente estava em brincadeiras, mas eu não era como ela nessa idade. Eu não era tão auto-consciente ou confiante. Ela é muito sábia além dos anos que tem. Definitivamente, existem elementos e estamos definitivamente muito semelhantes.”

Ela diz que ela é atraída para explorar a psicologia das pessoas.

“As pessoas sempre me interessam muito”, diz Delevingne, que já namorou o atriz Michelle Rodriguez e está atualmente namorando a cantora e compositora e multi-instrumentista americana de 32 anos St Vincent.

“Se eu não começar a atuar, irei continuar a aprender psicologia e talvez psicologia infantil ou terapia infantil.”

“As pessoas e suas mentes que sempre me interessaram e eu adorei porque sempre foi uma fuga para mim e você meio que esquece seus próprios pensamentos e é maravilhoso.”

“Você pode aprender muito sobre si mesmo (atuando). Obviamente para atuar você tem que cavar fundo e acessar partes de si mesmo que você realmente não quer e isso pode ser meio desafiador, um montede coisas pessoais. É interessante.”

Cara Delevingne cresceu fazendo teatro na escola, mas não foi formalmente estudada para atuar.

Em vez disso, ela diz que está aprendendo sobre o trabalho – e ela tem alguns professores com currículos impressionantes para trabalhar.

Papel Cidades chumbo é jogado por Cara Delevingne e marcas de um de seus primeiros passeios com os s

Ela estrela com Johnny Depp no seu próximo filme London Fields, com Christoph Waltz e Judi Dench em Tulip Fever e Hugh Jackman, Rooney Mara e Amanda Seyfreid em Pan.

“Eu meio que só fui de cabeça em cada um deles”, diz ela.

“Eu só vou lá como uma estudante apenas esperando para aprender, eu acho. Eu, obviamente, tive um treinador vocal de pé apenas para tipo de estar lá se eu estragar ou mudar o sotaque um pouco quando eu estou filmando, mas para além do que foi realmente improvisado. Obviamente, assim que eu tiver tempo eu adoraria trabalhar com alguém e aprender mais. ”

É muito cedo para Cara Delevingne dizer que tipo de ator ou atriz ela aspira-se a ser.

“Eu acho que você só pode realmente dizer que uma vez que você teve uma longa carreira e você sabe que tipo de gênero que você são colocados em mais, mas eu não acho que como ator, a menos que você é um ator que ama um tipo de atuação, você realmente não decide isso. Depende de quais filmes você faz. Eu meio que quero fazer para todas as coisas. Eu realmente não gostaria de me colocar em uma categoria.”

Mais tarde, depois de alguns pensamentos, acrescenta: “Se não parece real pra mim, então não quero fazê-lo, eu acho que esse tipo de atriz sou eu.”

“Eu prefiro não fazê-lo se eu não conseguir encontrar algo genuíno nele, porque sinto que o desempenho é como um robô.”

Como ser modelo e atriz não bastasse, ela também tentou cantar – a primeira gravação de música com 16 anos com o produtor e artista Simon Fuller, criador da série Idols conhecido primariamente através do Pop Idol no Reino Unido.

Mas não é algo que ela quer seguir novamente, diz ela.

Ela aparece no vídeo clipe de Taylor Swift para Bad Blood, mas é o mais perto de música que vamos vê-la por enquanto, publicamente qualquer maneira.

“No momento, eu realmente não tenho tempo, mas a música é sempre uma parte da minha vida e eu vou sempre escrever música”, diz ela.

“É apenas algo para mim que é bastante um projeto pessoal, eu sempre vou fazer isso.”

Cara Delevingne termina a entrevista com um sotaque australiano, tendo começado com sua gíria favorita.

“Eu realmente queria mostrar o meu sotaque australiano, mas eu tinha acabado de acordar e eu estava me sentindo um pouco tímida sobre ele”, diz ela. Delevingne diz ela pratica seu acento com Margot Robbie e seu colega australiano Jai Courtney, que também tem um papel em Esquadrão Suicida.

“Tudo que eu faço é praticar sotaque Aussie ao lado deles, eu acho que eles acham que é muito chato”, diz ela.
Fonte: Daily Telegraph AU

Cara Delevingne concedeu uma entrevista a Empire Magazine que vai as bancas no mês de Agosto deste ano, 2015.

“Eu odeio essa critica! Me chame de modelo, tanto faz. Me chame de atriz, tanto faz. Me chame da merda de um ser humano”

Confira entrevista completa a seguir:

Empire está no telefone com a modelo/atriz/ser humano Cara Delevingne, quem está passando o tempo nas ruas de Nova York, suas sobrancelhas famosas e franzidas, suspeita-se, e trabalhar-se uma cabeça de vapor comparáveis aqueles vistos gritando do sistema de aquecimento subterrâneo que cidade.
“Eu não gosto de ser colocada em uma caixa. Eu não sou uma pessoa da caixa. Eu não pertenço a uma caixa. Eu pertenço ao topo da caixa.”
O assunto polêmico que tenha incorrido em sua ira é o epíteto de “modelo barra atriz”, tantas vezes ligado a quem viaja em esperança, em vez da expectativa neste negócio que chamamos de programa. O mesmo não pode ser dito de Delevingne. Ela tem modelado desde os dez anos de idade e é agora o rosto de numerosas marcas grandes. Ela tem conexões com celebridades até o topo.
Ela acumula hectares de papel de jornal por causa de seu relacionamento com a atriz de ‘Velozes e Furiosos’, Michelle Rodriguez e com a cantora St. Vincent. E ela já fez um começo impressionante no cinema, estrelando nesse mês ‘Cidades de Papel’ e aparecendo no próximo verão em ‘Esquadrão Suicida’. Luc Besson também a anunciou como estrela de seu novo filme, ‘Valerian and The City of a Thousand Planets’.
“Eu estou orgulhosa do que eu fiz na modelagem, mas eu sei que posso fazer muito mais,” ela expande. “Para ser honesta quando uma pessoa fiz, ‘Você é modelo?’ Eu odeio. Eu odeio essa pergunta, ‘O que você faz?’ Como se isso te definisse, porque não define. ‘No que você acredita? O que você acha disso?’ Eu prefiro responder isso.”
É o suficiente para te fazer pausar e pensar sobre o que perguntar. Empire opta pela segurança de seus hábitos de leitura de história em quadrinhos quando criança.
“Bem, eu não sei. Eu não sei essa merda.”
Por que esta pergunta inofensiva a fez virar sua peruca assim? Bem, felizmente, logo fica claro que ela não estava abordando a Impire, mas sim alguma pobre alma que tentou dizer a ela onde ela pode e onde não pode andar. No fundo, uma voz é ouvida dizendo: “Vá para dentro”.
Determinada a ter a ultima palavra ela adiciona, “Eu pensei que podia andar na rua, por Deus,” antes de recuperar o equilíbrio e, quase sem fôlego, adiciona, “Desculpa, o que você disse?”

Converse com Cara Jocelyn Delevingne e você logo se sentira velho. O primeiro filme que ela viu no cinema foi – preparem-se – Spice World.
“Aquele pedaço no final quando todas olham para a câmera,” ela se lembra do poder das garotas em 1997. “Elas dizem, ‘Oh, eu posso te ver! Aquela garota com o vestido preto. ‘ Eu estava honestamente assim, ‘Oh meu Deus, elas estão falando comigo!” O programa de TV preferido dela na infância eram ‘Saved By The Bell’ e ‘Sabrina’, e ela amava Pokémon.

Ela não estava satisfeita em apenas deixar outros a entreter. Seus instintos de atuação foram encorajados já na pré-escola, onde ela fez o papel de Maria em um Jazz chamado ‘The Christmas Jazz.’
“Eu tive um solo monstruoso que eu aprendi uma noite antes,” ela relembra seus dias na escola, quando era conhecida pelo seu apelido Caz Delvis ou, mais conhecida, Deleminge. “Esse ainda é meu jeito – Eu sou procrastinava até entrar em apuros.”
É uma tática com que pagou dividendo. Bem como ganhando milhões nas passarelas em volta do mundo, ela também já faturou no filme ‘The Face of an Angel’ e este mês estrela o espírito livre adolescente, Margo, em Cidades de Papel, a ultima adaptação de John Green.
Ela ganhou o papel em parte graças a sua rotina de audição heterodoxa. “Eu preciso me atrapalhas antes de uma audição. eu tenho que ir e tirar meus sapatos e dançar pelos cantos” Ok, ela é doida. “Depois eu posso prosseguir.”
O filme exigiu de Delevingne um sotaque americano. “Eu permaneci nisto por dias,” ela lembra e mudança de seus tons Inglês para um sotaque norte americano. “Eu cresci como a criança mais jovem e minha família é bem barulhenta (Ela tem duas irmãs mais velhas, Poppy, também modelo, e Chloe) então eu ouvi muito e eu copiava como um papagaio.”
Está entrevista é entregue no casco que reflete a velocidade de sua carreira no momento, como ela viaja constantemente para Toronto para filmar Esquadrão Suicida. Seu personagem, Magia, é uma das vilãs designada para missões muito perigosas para heróis.
Ela admite que geralmente acha o gênero de super-heróis contra as mulheres. “Tem apenas três mulheres nesse filme,” ela diz “mas em minha opinião elas tem os melhores papeis. Mas geralmente filmes de super-heróis são sexistas. Super-heroinas normalmente estão nuas ou de biquínis. Ninguém conseguiria lugar assim. Mulher Maravilha, como ela luta? Ela morreria em um minuto.”
Magia, tanto faz, tem a habilidade de controlar mentes. Esse não é um poder irrevogável? “Não, eu acho que preferiria ter a habilidade de ser qualquer pessoa ou qualquer coisa, eu acho,” ela diz. “Esse é um super poder, e claro que é igual a Mistica de X-men, mas bem como eu gostaria de ser uma arvore também, ou um clipes. Qualquer coisa que respire. Ou não.”
Então ela poderia se misturar ao fundo?
“Exatamente. Como, sendo uma parede.”

Diga o que você quiser sobre Cara Delevingne, ela é raramente sem graça.
O tema da percussão surge regularmente, e ela caminha claramente em uma batida diferente do tambor. Imaginando um brasão de armas para si mesmo, ela declarou que incluiria, “um leão com um macaco no ombro e um passarinho no outro ombro. E baquetas nas mãos do macaco e o leão poderiam estar coberto por tatuagens.” Então ela confessa ser “A melhor do mundo no beatboxer”, ela explica que “Tem muito barulho de bateria na minha cabeça, como um processo. Então é um jeito de externalizar sua bateria interior.”
Assim no termino, ela cita as palavras de Benjamin Disraeli, “Nunca reclame, nunca explique,” como sua inspiração, antes de trazer mais a entrevista. “A citação da vida da minha melhor amiga é, ‘Fique legar, se cair afrouxa, admita nada'” Ela ri. “O que eu acho tão engraçado porque ela tatuou isso em sua caixa torácica durante ano de férias. Eu não sei se ela se arrepende ou não…”





Facebook
Instagram
Parceiros
  • Blake Lively Brasil