Cara Delevingne apareceu no programa de TV The Graham Norton Show na última sexta-feira (27/10) ao lado dos atores Emma Thompson, Adam Sandler, Claire Foy e Morrissey.

Delevingne esteve no programa para falar um pouco sobre o seu primeiro romance “Jogo de Espelhos”, qual já esta a venda em todas as livrarias do Brasil.

Confira o programa completo abaixo (entrevista com Cara Delevingne começa no 27:57 porém a atriz fala em outros momentos como em 6:50):

Confira todas as imagens da atriz no programa:

27/10 – Cara Delevingne no programa The Graham Norton Show

 

 

Cara Delevingne está em Londres, sua cidade natal, para promover o seu primeiro romance, Jogo de Espelhos.

A atriz apareceu no programa This Morning que foi exibido nessa manhã de segunda-feira (09/10) nas televisões de Londres. Delevingne esteve no estúdio para a gravação do programa na última semana, portanto o programa não era ao vivo e não teve apenas Cara Delevingne como participante, a atriz levou seu cachorro, Leo, para o programa.

Confira o vídeo da entrevista abaixo (Em breve traduzido e legendado):

Confira todas as imagens sincronizando no álbum abaixo:

 09/10 – Cara Delevingne no programa This Morning

O livro Jogo de Espelhos escrito por Cara Delevingne tem lançamento no Brasil ainda essa semana, o livro estará em todas as livrarias do país a partir de quarta-feira (11/10), então não deixem de garantir a sua copia.

Poppy e Cara Delevingne sobre por que homens e mulheres devem falar mais abertamente sobre vaginas

As irmãs apresentam fundo para a campanha Lady Garden, para destacar a importância de conhecer e falar sobre os seus órgãos sexuais e do seu parceiro.

Você pode notar algo de brotação incomum no estábulo da Condé Nast de sites de luxo hoje. Especificamente, supermodelos, atrizes e um maquiador muito famoso, incluindo Cara Delevingne, Naomi Campbell, Suki Waterhouse, Poppy Delevingne e Charlotte Tilbury, mantendo sua modéstia de maneiras criativas, divertidas e muito florais.

O propósito por trás desta celebração de carne e flora livre é destacar um problema que normalmente não é discutido muito abertamente no Reino Unido: câncer cervical. Aqui, Cara e Poppy Delevingne explicam exclusivamente a GQ por que elas e sua irmã Chloe estão envolvidas na campanha Lady Garden e o que representa.

Uma coleção de camisetas de edição limitada será lançada em Selfridges em 5 de outubro de 2017, com um preço de £ 28, cada uma com 100% dos lucros para o Gynecological Cancer Fund para financiar pesquisa inovadora no The Royal Marsden.

 

Cara Delevingne sobre como as células pré-cancerosas de sua irmã a inspiraram a se envolver

“Eu inicialmente me envolvi como minha irmã Chloe que é uma das co-fundadoras da campanha, tendo experimentado as células cervicais pré-cancerosas que ela teve. Mas mesmo que Chloe não estivesse envolvida, eu ainda gostaria de apoiar o que a Campanha Lady Garden está fazendo. É divertido, mas tem uma mensagem realmente importante que é muito importante para mim – que meninas e mulheres devem ser liberadas das restrições sociais que nos obrigam a tentar se encaixar em um molde. Quer seja uma certa maneira de olhar, suas escolhas sobre seu futuro ou – como neste caso – falar abertamente e bravamente sobre vaginas e todas as áreas ginecológicas do corpo de uma mulher. É um direito humano conhecer nossos corpos e nós somos tão mal educado. Espero que, apoiando a campanha Lady Garden, incentive as mulheres a serem corajosas, conhecer seus próprios corpos e falar!”

Cara Delevingne sobre por que os homens devem falar abertamente sobre vaginas

“Isso não é apenas uma questão de mulher. Os homens estão perdendo suas esposas, irmãs, mães e tias a esses assassinos silenciosos. O diagnóstico é fundamental, mas para ter um diagnóstico precoz, temos que conhecer nossos próprios corpos. Eu realmente acredito que  homens e mulheres devam entender os corpos uns dos outros, assim como eles fazem com o seu próprio corpo. Ou, pelo menos, poder falar abertamente um com o outro. Especialmente no Reino Unido, há tanta vergonha quanto às áreas do corpo que são consideradas sexuais. Essas áreas também são órgãos e, se começarmos a tratá-los como tal, todos podemos ajudar uns aos outros a viver vidas mais abertas e conectadas”.

Poppy Delevingne sobre o que as irmãs Delevingne chamam de suas vaginas

“Eu me sinto muito forte que as mulheres possam conversar umas com as outras. Crescendo, sempre fui um pouco tímida ao falar sobre essa parte do corpo, mesmo com minhas melhores amigas. Vagina não deveria ser uma palavra travessa, devemos ser capaz de falar  sobre sem ficar envergonhada. Cara, Chloe e eu escolhemos ‘Nou Nou’ como nosso apelido, pois pensamos que as meninas ficarão à vontade usando essa palavra. Se pudermos pensar nas adolescentes pensando em apresentar o tópico em um maneira divertida, então elas descobrirão o que realmente é essa campanha: salvando a vida de outros dos cânceres ginecológicos. É realmente importante porque esses cânceres ainda são muito mal interpretados. Minha irmã Chloe teve muita sorte em estar estudando medicina e, portanto, estava bem informada, descobrindo suas células pré-cancerosas cervicais cedo, mas a maioria das mulheres é muito pouco educada sobre seus corpos. a Lady Garden pode mudar tudo isso.”

Poppy Delevingne sobre como os homens estão envolvidos

“Tive a sorte de me envolver na campanha desde o início e percebemos um movimento real de homens tentando se envolver também. Sei que Chloe e Mika Simmons, que fundaram a campanha, ouviram toneladas de histórias sobre que os homens estão perdendo suas mães e irmãs para esses cânceres ginecológicos. É bastante simples – a falta de diagnóstico precoce e as taxas de mortalidade altas subsequentes desses cânceres também afetam os homens também… Espero que esta campanha seja o superfície e abra uma conversa mais consciente entre ambos, homens e mulheres.”

 

 

Saiba mais sobre a Lady Garden: http://ladygardencampaign.co.uk/

 

Fonte: GQ Magazine

Cara Delevingne é rosto da revista The Edit, uma revista adjacente a NET-A-PORTER.

A revista é destinada ao mundo da moda, trazendo ao publico o que tem de mais novo e moderno nesse mundo fashion. A atriz e modelo além de ser o rosto da revista concedeu uma entrevista para a mesma, que deve chegar nas bancas ainda este mês.

Confira trechos já divulgados da entrevista de Cara Delevingne:

A modelo e atriz Cara Delevingne disse que a depressão que sofreu quando adolescente deixou uma sensação de que ela era alienada e suicida.

Delevingne, um dos rostos mais reconhecidos do mundo – ela liderou campanhas para Chanel e Burberry – falou sobre como ela era muitas vezes confundida com um menino quando era mais nova.

“Se eu usasse as roupas que eu gostava, com meus cabelos curtos, todos pensariam que eu era um menino. Eu odiava isso. Embora eu parecia um menino e agisse como um menino, eu não era um menino “, Delevingne disse à revista Net-A-Porter.

“E quando as pessoas diziam [aos meus pais],”Oh, seu filho é tão bonito”, eu pensaria, como você ousa dizer isso! Como, por que eu era vista como um menino?”

Ela acrescentou: “Eu sempre me senti muito estranha e diferente quando criança e esse sentimento era algo que eu não entendia, ou não sabia como expressar… Não era como se fosse uma alienígena, mas eu definitivamente sabia que havia algo estranho acontecendo”.

Delevingne foi aberta no passado sobre suas lutas com doenças mentais – ela teve uma queda aos 15 anos e foi tirada da escola – mas falou em maior profundidade sobre como o ambiente privilegiado em que cresceu nem sempre foi tão compreensivo sobre sua depressão . “Tantos dos meus amigos diriam: “Como você se sente?”E “Mas você é tão sortuda”, e eu seria como, eu sei, confie em mim, eu sei. Eu sei que sou a garota mais afortunada do mundo, eu entendo todas essas coisas, e eu gostaria de poder apreciá-las. Há apenas algo escuro dentro de mim que eu não consigo entender”.

“Fiquei alienada e sozinha, porque eu era tipo: o que há de errado comigo? Sempre quis que as pessoas me amassem, então nunca me enojei com elas; Voltei minha raiva para mim. Em vez de usar [minha] espada e escudo [para me proteger], acabei de tirar o meu escudo e me esfaquear.”

“Eu me odiava por estar deprimida, odiava sentir-me deprimida, odiava sentir”, lembra. “Eu fui muito boa em se desassociar completamente da emoção. E todo o tempo eu estava me adivinhando, dizendo algo e me odiando por dizer isso. Não entendi o que estava acontecendo além do fato de que eu não queria mais estar viva”.

Confira vídeo de Delevingne para a revista:

Confira todas as imagens de Cara Delevingne sincronizando com o álbum abaixo:

Cara Delevingne para revista The Edit

Valerian e a Cidade dos Mil Planetas é um filme baseado na série de quadrinhos “Valérian et Laureline” criado por Pierre Christin (roteiro) e Jean-Claude Mézières (desenhos).  O filme foi inspirado pelo sexto álbum da série “L’Ambassadeur des ombres”, publicado em 1975.

Para quem não sabe em 2012, foi anunciado que Luc Besson, diretor francês, planejava fazer um filme baseada na série de quadrinhos francesa “Valérian et Laureline”, lançada em 1967.

Em 12 de Maio de 2015, Besson revelou em seu primeiro tweet que ele iria escrever e dirigir um filme de Valérian, enquanto Dane DeHaane e Cara Delevingne iriam estrelar a produção. DeHaan e Delevingne irão interpretar os agentes espaço-temporais de uma Terra futurista, no caso Valerian e Laureline. Em 19 de Agosto de 2015, Clive Owen assinou para interpretar o Comandante Arun Filitt no filme. Este filme marca o retorno do diretor ao subgênero space opera, vinte anos depois de O Quinto Elemento, e confirma o seu apelo a ficção científica, especialmente depois de Lucy, sucesso mundial em 2014.

SINOPSE:

Século XXVIII. Valérian (Dane DeHaan) é um agente viajante do tempo e do espaço que luta ao lado da parceira Laureline (Cara Delevingne), por quem é apaixonado, em defesa da Terra e seus planetas aliados, continuamente atacados por bandidos intergaláticos. Quando chegam no planeta Alpha, eles precisarão acabar com uma operação comandada por grandes forças que deseja destruir os sonhos e as vidas dos dezessete milhões de habitantes do planeta.
O “visionário” Luc Besson não poupou esforços ou dinheiro para levar seu projeto dos sonhos para os cinemas. Valerian e a Cidade dos Mil Planetas é oficialmente a produção francesa mais cara já feita, ao custo de €197.47 milhões (cerca de US$ 210 milhões).
A ficção científica esmigalhou o recorde anterior, de Asterix nos Jogos Olímpicos (€78 milhões), e assumiu ainda a liderança do ranking de filmes mais caros feitos fora dos Estados Unidos, superando o chinês Asura, que será lançado em 2018. O investimento, 100% francês, é digno de Hollywood e coloca o longa no mesmo patamar que Transformers: A Era da Extinção e X-Men – O Confronto Final, também feitos com US$ 210 milhões.
Grande parte do dinheiro foi para os efeitos especiais, fundamentais na narrativa. “Apenas 10% dos personagens são humanos, os demais são todos alienígenas. Teremos 10 meses de pós-produção com este filme, ele terá cerca de 2700 cenas com efeitos”, declarou Besson na Comic-Con 2016.

Além de ser o filme mais caro já produzido na história do cinema francês, Valerian e a Cidade dos Mil Planetas também chama atenção por causa de seu visual arrojado. Como é de costume na filmografia do cineasta Luc Besson – considerado como um artista “visionário” -, a estética da longa é um de seus pontos fortes. Mas criar um universo inteiro, composto por planetas, espécies e paisagens alienígenas, não é uma tarefa que pode ser realizada sem a utilização de efeitos especiais. Por isso, a nova obra de Besson possui 2355 planos criados no computador (via THR).

Basicamente, todo dia de filmagem foi em frente ao chromakey. Dos seis meses de produção, apenas duas semanas de gravação aconteceram em circunstâncias normais“, declara a protagonista Cara Delevingne. Como os grandiosos trailers já demonstraram, Valerian e a Cidade dos Mil Planetas depende e muito de sua pós-produção. A equipe de efeitos digitais do longa foi responsável pela ambientação da maior parte do filme. Locais como a estação espacial Alpha e o cavernoso mercado alienígena de 500 andares de altura são obra de efeitos digitais. Em relação aos exuberantes seres intergaláticos apresentados, os Pearl (foto abaixo), especificamente, demandaram bastante tempo da equipe de criação por causa da complexidade física da espécie.

Descritos por Martin Hill, diretor do CGI de Valerian…, como uma raça alienígena quase perfeita, os Pearl são seres que expressam suas emoções através do uso da cor da pele. Segundo o artista, Luc Besson queria ir além da captura de movimento para a construção dos personagens alienígenas. Assim, neste caso, a equipe de cineastas desenvolveu a ideia de que os Pearl demonstrariam seus sentimentos através de padrões de cores em seus corpos que mudam conforme seu estado de espírito.
Valerian e a Cidade dos Mil Planetas estreia dia 10 de Agosto de 2017 no Brasil, o filme será distribuído pela Diamond Films e tem como gênero ficção cientifica e a classificação etária ainda não foi decidida.
Confira trailer legendado abaixo:

 

Confira vídeo legendado de Cara Delevingne falando sobre o filme:

 

 

 Em breve post ESPECIAL VALERIAN contando tudo que rolou na divulgação do filme no Brasil, evento que contou presença do diretor Luc Besson e o ator Dane DeHaan e que nós do CDBR tivemos a oportunidade de acompanhar de pertinho!!

 

 





Facebook
Instagram
Parceiros
  • Blake Lively Brasil