A Spencer Lee Band está pintando uma imagem vívida dos últimos dias do vocalista Spencer Lee vivendo nas ruas de Los Angeles em seu novo videoclipe de seu single “River Water”, onde sua experiência é retratada pela modelo-atriz Cara Delevingne.

“Eu estava desabrigado nessas ruas de Los Angeles quando escrevi ‘River Water’”, ele diz em um comunicado de imprensa sobre o single. “F – sendo sem-teto. É uma merda. Eu quero que as pessoas continuem lutando a boa luta. Isso é para todos eles ainda nessas ruas à noite ”.

Como a contagem de desabrigados de Los Angeles atualmente é de mais de 53.000 pessoas no condado de L.A., a atriz do Esquadrão Suicida, 26, está ajudando a esclarecer a crise, enquanto canaliza uma mulher sem teto que luta para permanecer viva.

Cara Delevingne stars in The Spencer Lee Band's music video for their single River Water.

“Às vezes, as pessoas andam pelas ruas e vêem um ‘sem-teto ou garota’ e o que eu quero que as pessoas percebam é que é uma pessoa – como você e eu – lutando para sobreviver”, diz o cantor e compositor à PEOPLE. Inspiração por trás de seu novo videoclipe. “Cara veio junto e completamente pregou o papel no vídeo.”

Assista ao vídeo:

Confira imagens dos bastidores do vídeo clipe:

 BASTIDORES DO VÍDEO CLIPE RIVER WATER DE THE SPENCER LEE BAND

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte: People

Cara Delevingne está em mais uma campanha da Puma, porém, dessa vez é uma campanha que marca os 10 anos da Zalando.

A Zalando SE é uma empresa alemã de comércio eletrônico situada em Berlim. A empresa mantém uma loja on-line multiplataforma que vende itens de calçados, moda e beleza e dessa vez a empresa de juntou a Puma para uma coleção incrível que traz Cara Delevingne na frente da campanha.

Confira o vídeo oficial da campanha:

Confira vídeo dos bastidores:

E confira um vídeo de Cara Delevingne respondendo algumas perguntas:

E para conferir todas as imagens da campanha basta sincronizando com o álbum abaixo:

CARA DELEVINGNE PARA PUMA X ZALANDO

Este slideshow necessita de JavaScript.

O próximo filme com Cara Delevingne a se lançado será “Her Smell”, uma longa com cinco atos, narrando a historia de uma cantora punk com vários problemas.

Confira sinopse de “Her Smell”:

Becky Something (Elisabeth Moss) é uma estrela do punk rock em decadência. Durante a carreira, ela desenvolveu uma série de relações problemáticas com os seus parceiros de trabalho, sua família e seus fãs. Lutando contra o alcoolismo que a assombra há anos, ela precisa recuperar sua criatividade para fazer com que sua banda volte a ter sucesso.

E finalmente, foi lançado o primeiro teaser do filme. (Cara Delevingne apenas aparece ao fundo), confira:

Recentemente Cara Delevingne foi capa da revista Vogue Britânica em uma edição na qual falava sobre o casamento moderno.

Confira o vídeo feito para a revista legendado:

Cara Delevingne sobre a pressão para o progresso.

 

Envolvida por um leão selvagem, Cara Delevingne delicadamente retorna para segurança. Ela retorna de novo depois que o treinador da sinal verde, pronta para posar novamente para o fotografo David Yarrow, responsavel por sua campanha para TAG Heuer. Esse processo é repetido toda vez que o leão, um animal que Delevingne tem tatuado no dedo, chega perto. O lema da TAG Heuer é “Não quebre embaixo da pressão”, enquanto Delevingne está longe de desistir, você esta enganado se acha que a situação não envolve pressão.

O que vem na sua mente quando pensa na Delevingne? Ela é bonita, sim. Talentosa, Claro. Inteligente, sem dúvidas. Todos os adjetivos cabem na modelo e atriz brinatica um milhão de vezes, mas talvez bravura e perseverança seja os dois mais aplicaveis hoje. Um dos rostos mais famosos na moda, 25 anos e Delevingne
abandonou sua carreira de modelagem no auge. Ela fez a transição para os filmes, onde ela foi escalada para blockbusters e indies para surgir a nova garota do setor, e ainda está em alta demanda entre as marcas mais luxuosas do mundo.

Delevingne vocalizou sua depressão, sua estranheza e seu assédio em vários setores; ela atualizou as conversas e presta serviços à sua comunidade, independentemente do custo. Para celebrar sua bravura e nova campanha com os relojoeiros icônicos, TAG Heuer, PAPER sentou-se com Delevingne para falar sobre as pressões do progresso.

Como você está se sentindo?

Eu acabei de terminar um filme, então estou um pouco cansada; é um projeto chamado “Her Smell”. Ela tem sete personagens femininas principais sobre uma punk feminina dos anos 90. Elizabeth Moss, Agyness Deyn, Ashley Benson e Amber Heard. O tempo tem me deixado louca – o sol e a chuva. Realmente fode comigo para ser honesta. Eu não entendo como alguém não acha que o aquecimento global não está acontecendo. Eu estou assustada.

Escute, eu estava assistindo o vídeo da campanha da TAG Heuer… você tinha um leão a 10 pés de distância de você e não estava nem preocupada.

Eu sou muito grata a TAG. Imagine apenas ir para a África do Sul e ficar em uma reserva de safári e filmar? E não apenas isso, mas trabalhar com o treinador e entender por que ele faz o que faz.

Você tem uma conexão com leões

Sim, eu sou um leão.

Qual seu ascendente?

Eu não sei, Capricórnio, eu acho?

Ok, ambicioso.

Eu amo astrologia. O mapeamento e onde você nasceu e quando nasceu é realmente importante. A maioria dos leoninos tem orgulho de ser leão, mas para mim os gatos são simplesmente hipnotizantes. Eles são tão imprevisíveis. Eu amo cães e eles são leais, mas eles só precisam ser abraçados e ter comida. Gatos não dão a mínima para merda. Eu tenho uma conexão muito especial com gatos… só porque eu tenho muito respeito e admiração por eles Eu acho que eles meio que fodem comigo? Mas eu sempre sinto que os gatos são o chefe.

Quando eles querem você e quando precisam de você, é tão lisonjeiro.

Tão bonito. A maneira como eles andam … [Esta campanha] é a situação que eu tenho em toda a minha vida. Se você ficar com medo, o leão sente isso, e eu amo muito isso. Naquele primeiro dia eu tive que estar em uma gaiola enquanto o leão me checava. Eu estaria em uma gaiola e o leão sairia por aí me cheirando, e eu sabia como era estar em um zoológico.

“Todo mundo tem uma história e todos deveriam ter o direito de contar suas histórias”.

Bem, você esteve em um zoológico – a transição da moda para o cinema, você está literalmente saindo do covil de um leão e indo para outro.

Em comparação com o que mais está acontecendo no mundo, eles não são as indústrias mais fodidas. Eles estão fodidos no sentido de que eles têm a maior plataforma e a maioria dos olhos neles, mas eles estão tão atrasados. Ainda. O mundo tem sido, e ainda é, sobre poder e ganância. Sempre foi muito masculino e cada vez mais temos que ouvir as vozes dessas jovens garotas. Todo mundo tem uma história para contar. Não importa de onde você veio ou onde você foi para a escola ou quão inteligente você é ou quão inteligente você pensa que é, ou quão bonita você é. Todo mundo tem uma história e todos deveriam ter o direito de contar suas histórias. E se sentir bonita. E querida. E sexy. Para sentir como você quer se sentir.

Quais são seus pensamentos sobre a nova orientação do setor em relação à diversidade e à inclusão? Isso é uma tendência ou estamos fazendo um progresso genuíno?

Eu acho que a parte da diversidade não é uma moda passageira. A mudança foi tão benéfica em termos de compreensão de todos ou aceitação emocional. Com as pessoas sendo vocais sobre como elas se sentem – bravas e magoadas – isso tem sido incrível. Estou mais preocupada com o fato de os direitos iguais serem uma moda – literalmente direitos masculinos/femininos. Eu sinto que às vezes o movimento #MeToo tem sido incrível, mas eu ainda sinto que foi escovado debaixo do tapete.

Você se sente como “o ajuste” parou depois do filme?

Levou tanto tempo em outras indústrias – como moda, quero dizer… E música, ainda é…

Você sente os efeitos do #MeToo no set?

Eu sinto e não sinto. Está sendo falado sobre, mas ainda não se transformou em realidade. Eu acho que a coisa de Harvey [Weinstein] é um ótimo começo, mas ainda não se encontrou. Há muito mais para ir. É da nossa natureza questionar tudo e, para as mulheres, pensamos em “molhar as costas de um pato”. Isso não vai mudar com uma geração, isso vai ser algo que ensinaremos às nossas filhas.

E nossos filhos.

Sim, educação. E como os homens são criados.

Você é uma mulher e fez muito pela comunidade LGBT. Eu quero falar com você sobre o debate que está acontecendo com a música de Rita Ora, “Girls”. Há mulheres bissexuais dizendo que se sentem realmente representadas , e outros argumentam que essa retórica nos coloca de volta, um retrocesso. Qual é a sua opinião?

Quer dizer, eu amo todos esses artistas, acho que é uma ótima música. E eu não acho que haja algo errado com isso. Eu acho que não é justo apontar um dedo. Eu amo a Rita. Eu acho que ela é uma artista maravilhosa e eu sempre a apoio no que ela faz. Não acho certo dizer que a experiência dela e as palavras dela estão erradas. Se ela nunca se sentiu assim e não era verdade, então seria estranho. Ela está orgulhosa de algo e dizendo isso.

Certo, publicamente.

Sim, ela está sendo honesta sobre algo que ela poderia não estar confortável antes. Eu não acho errado. E as pessoas discordando disso e sendo vocal… ninguém nunca vai apoiar uma coisa que acontece. Sempre haverá uma conversa. É por isso que você faz música, ou filmes, para que as pessoas possam falar sobre isso. Essa é a questão.

Era interessante que ela se desculpou, e se deveria necessariamente ter ou não.

Ela não precisava se desculpar. Ela não fez nada errado. Ela deve ser capaz de sair e dizer: “É assim que eu fiz isso e vou continuar cantando essa música porque é uma ótima música”. Veio da intenção correta e é isso que é mais importante.

Então, em meio a todo esse barulho, você acha que estamos melhorando?

Olha, acho que estamos melhorando, mas sempre vamos subir e descer…

Não é linear.

Exatamente, 100%. Mas pelo menos estamos fazendo progresso. Quanto mais falamos sobre as coisas e se há desentendimentos, mais uma vez, sempre haverá pessoas em ambos os lados da cerca e contanto que você mantenha essa cerca aberta, mantenha os portões abertos…

Literalmente, mantenha as paredes para baixo.

Paredes abaixo. Guarda para baixo. Mascara desligado.

 

Fonte: Paper

O vídeo da TAG Heuer estará em breve traduzido e legendado pela nossa equipe CDBR.

 

 





Facebook
Instagram
Parceiros
  • Blake Lively Brasil