Cara Delevingne concedeu uma entrevista para o Radio Times e acabou falando um pouco sobre a modelagem e claro sobre como seu sonho sempre foi atuar, confira entrevista completa e traduzida:

Cara Delevingne, a estrela do filme de ficção científica Valerian e a Cidade dos Mil Planetas, disse que não gostava nem o que ela “representava” como modelo.

A atriz de 24 anos – que teve um ascenso extraordinário à fama depois de assinar com a agência Storm e vencido duas vezes a categoria Modelo do Ano – falou de seus arrependimentos sobre trabalhar na indústria na nova edição do Radio Times.
“Eu não gostava de mim como modelo”, admitiu ela.

“Eu não gostava do que eu defendia. Não gostei do que estava me transformando. Não que eu estivesse concentrada em como eu estava, digo quanto a aparência, mas é meio que isso.”

“Essa não sou eu mesmo – você fala com todos os meus melhores amigos mais antigos e eles sabem que não sou uma modelo. Eu não dou a minima sobre a minha aparência”.

Embora Delevingne tenha dado um passo atrás na passarela para trabalhar em sua carreira como atriz, ela não deixou de modelar e continuará na indústria em seus próprios termos.

“Agora, quando eu modelo, consigo escolher meus próprios ensaios e decidir com quem trabalho”, disse ela. “Agora se tornou uma saída criativa, em vez de ser usado como um peão”.

Delevingne está estrelando ao lado de Dane DeHaan em Valerian, e já apareceu no romance adolescente Cidades de Papel e em Suicide Squad do ano passado ao lado de Will Smith.

A sensação do Instagram também revelou que ela sempre teve essa ambição de trabalhar no cinema. “Para ser sincera, atuar é algo que eu queria fazer toda a minha vida”, disse ela.

“Realmente me ensina muito sobre mim e sobre a vida, e é isso que eu sempre quis fazer. Isso me faz muito feliz.”

Ela acrescentou que, quando sofria de depressão quando adolescente, a atuação era sua “única fuga real”.

“Eu estava em todas as peças. Eu definitivamente queria muito ir a escola de teatro. Eu amo o teatro”.

Fonte: Radio Times

Categories: Entrevista