Veja imagens exclusivas de Luc Besson do filme “Valerian e a Cidade de mil planetas”

O diretor Luc Besson (O quinto elemento) tinha apenas 10 anos quando caiu sob o feitiço de Valerian e Laureline. O comic book que começou a ser publicada em 1967 é considerado um antepassado de Star Wars e Avatar, conta a aventura de dois agentes espaciais que resolvem crimes em mundos intergalácticos. Os contos mais profundos no cérebro de Besson foram recriados a partir do amor do jovem Luc (Laureline era o nome do primeiro amor de Luc) e os desafios tecnológicos das tomadas do filme que estão por vir “Quando eu olho a tela azul..” Besson, de 56 anos, diz direto do set em Paris da adaptação Valerian, “Eu vejo tudo. Minha imaginação está muito confortável com a tela azul.”

Isso é muito bom, porque Valerian inclui 2.400 F/X por foto. (O quinto Elementos continha apenas 200.) Besson é sigiloso sobre o enredo (e sobre papéis secretos interpretados por alguns atores, incluindo Rihanna), mas ele diz que o objetivo final é criar uma fantasia de ficção cientifica que vai conquistar até os não-devotos do gênero. “Tipo um coquetel onde nem se quer precisa provar o álcool”, diz ele com uma risada de Papai Noel cativante.

O filme de Besson “Valerian and the City of a Thousand Planets” (tradução livre Valeriano e acidade de mil planetas) estreia em julho de 2017. Ele falou exclusivamente para o EW direto de Paris e compartilhou 5 fantásticas imagens do filme, incluindo um de Valerian (Dane DeHaan) e Laureline (Cara Delevingne) em suas armaduras junto com um certo Monsieur Besson que está de perfil logo atrás deles. Com sua jaqueta, é a reprodução dos seus dois heróis de desenhos dos comicbooks.

EW: Da sua conta no Twitter, parece que você está no meio da sessão de fotos de Valerian. Como estão as coisas no set em Paris?

Luc Bensson: Amanhã vamos entrar na metade das filmagens. Um total de 98 dias, mas já salvei 2 dias já na programação. Eu sinto, honestamente, muito mais feliz. O que é raro. Normalmente estou sempre cético e esperando que termine, mas já tenho tanta coisa boa. O truque do filme foi ter a certeza que Valerian e Laureline trabalhariam como um casal. E se conseguir fazer isso, estou satisfeito.

EW: Os dois atores que você escolheu para estrelar, Dane DeHaan e Cara Delevingne, eles não são super estrelas, mas os dois tem uma carisma única.

LB: Desde o primeiro dia, eles são filmados. Estão conectados. Dane já era um gênio antes de me conhecer. Mas Cara agora é como um pássaro que está aprendendo a voar. Ela realmente vai ser uma grande estrela.

EW: Deve ser muito difícil para eles trabalharem com a tela azul. E pra você também?

LC: Honestamente, para mim não. Quando eu li Valerian com 13 anos, eu vivia no país do queijo, e queria fazer filmes. Mas quando eu abri minha janela e vi vacas, acreditei em mim, isso impulsiona sua imaginação. Porque isso vira um escape. Eu comecei a ler Valerian quando tinha 10 anos. Naquele tempo não existia internet; Nos não tínhamos nem TV em casa. Então eu lia e tinha apenas minha imaginação. Então quando eu olhei para tela azul, eu vi tudo. Minha imaginação está muito confortável com a tela azul.

EW: O que encantou você no comic book original?

LC: Bem, o sistema de leitura em que você tinha apenas duas páginas por semana. Para as crianças, isso é muito divertido. Pode imaginar isso hoje? Nós não conseguimos esperar 2 segundos para a próxima coisa. Eu estava na ficção-cientifica, o que era muito raro no começo dos anos 70. E era uma garota e um garoto, não tínhamos muitos heróis femininos naquela época. Então a primeira garota que me apaixonei, eu tinha 10 anos, era Laureline. Ela é uma pessoa durona. E ela não diz: “sim, sim, sim” para o Valerian o tempo todo. Eu amei isso nela.

EW: Por que você demorou tanto tempo para embarcar em uma versão para o cinema?

LB: Posso responder isso. Jean-Claude Mèzieres, que é o pai de Valerian, estava trabalhando em O Quinto Elemento por um ano, e ele me perguntava o tempo todo: “Porque não faz um filme?” E eu sempre respondia: “Nos não podemos.” Há uns 10 ou 12 personagens humanos, os outros são todos alienígenas. Então, a técnica não existia. Tivemos que esperar Avatar.

EW: Você ficou muito feliz quando assistiu Avatar?

LB: Eu assisti Avatar e joguei meu roteiro de Valerian no lixo [risadas]. Me inspirei em James Cameron. Ele me convidou para visitar o set de filmagens de Avatar. E fiz algumas perguntas e ele foi muito aberto comigo e muito simpático. Ele estava compartilhando suas ideias com outros diretores. Estava ajudando outras pessoas, como eu, o progresso dos filmes de ficção cientifica.

EW: Então o que está diferente desde a primeira vez que começou a escrever e agora?

LB: Eu me permiti muito mais liberdade. Estava centrado na história para fazer issoo mais real, mais humano. Se você não gosta de ficção cientifica, espero que você ainda goste de Valerian. E a outra parte é: faça tudo que conseguir, antes que alguém diga que é impossível. Deixa sua imaginação sair dos limites. E vamos ser complicados, como aliens, robôs e tudo isso, mas fazer parecer simples como uma dança. Você assiste a coisa, e isso flui, é divertido e livre. Isso não é profundo e complicado. Isso é ultra sofisticado para fazer, mas parece fácil. Tipo um coquetel onde você não precise, se quer, saborear o álcool [risadas].

EW: Então temos essa foto dos dois, Valerian e Laureline, e eles parecem estar na corrida. O que está acontecendo lá?

LB: É uma das partes da primeira missão. Começando o filme. Tipo, quando você assiste 007, ele sempre está em uma missão quando começa o filme. Isso é o Estilo-James-Bond de missão pré-história. Eles estão no meio de uma missão, e estão disfarçados, então é por isso que estão vestidos desse jeito. Estão tentando escapar. É tão divertido como eles tem que escapar.

EW: E quem é esse grande robô preto?

LB: O nome dele é K-Tron. Ele é um policial. Você não pode sequer lidar com ele. Você não pode discutir com ele. Ele não é muito importante no filme, mas ele é tipo um policial militante. Confie em mim, eu tenho milhares de personagens iguais ele.

EW: Como você se envolveu com o design das fantasias? Este é um dos aspectos que mais foram discutidos sobre O quinto Elemento.

LB: Desde o começo. Quando começamos, há alguns anos atrás, nos selecionamos uns 6,000 modelos. Terminamos com 10. Basicamente, trabalhamos com 5 por 1 ano. E muitos dos figurinos vieram de lá. Metade veio do Quinto Elemento, metade veio de Olivier Bériot. Que é um figurinista. E então nós fizemos um grande concurso onde recebemos um monte de desenhos, e escolhemos os 20 melhores, e eles também estão no filme. Foi um longo longo processo, Nos começamos a três anos atrás.

EW: Você tem grandes atores no filme. tipo John Goodman, Clive Owen e Ethan Hawke. E estamos muito ansiosos para ver Rihanna no elenco – ela será uma vilã?

LB: Não posso falar isso. A grande diferença entre este filme e o patrão Marvel é que com 5 minutos de filme você consegue ver quem é o vilão. Eles fazem filmes muito bem feitos, mas esse padrão me incomodou um pouco. O que há de novo aqui é que temos 2 agentes, e ao longo do filme, temos uma investigação policial, na verdade. Então você não sabe quem é exatamente o vilão no final, por causa da investigação. Por isso não posso falar muito. Mas é uma história real. Isso que eu amo no filme.

EW: O quanto vamos saber sobre o filme se lermos a comic book? São 29 livros de Valerian e Laureline

LB: Vai ser o sabor dos comic, com certeza. Quando você lê um comic book, isso te prende por 20 minutos. O filme tem 2 horas. Então eu levo o essencial, mas eu tenho que ir aos outros mundo. Mas quando você assiste o filme, você vai lembrar do comic e dizer: “ah sim, sim, sim! Isso, isso!” Os personagens estão lá e um grande pedaço da história é vinda das comics.

Fonte: EW

Entrevista traduzida por Maria Lúcia Severo Lang da Equipe CDBR