Cara Delevingne escreveu uma matéria muito honesta para a MOTTO, uma ramificação da revista TIME na qual ela fala sobre trabalho e sobre receber aprovação dos outros.

Confira a matéria completa e traduzida abaixo:

CONSELHO

Cara Delevingne: conseguir a aprovação dos outros não é a coisa mais importante

Eu comecei a modelar quando eu tinha 16 anos. A sorte estava contra mim. Com uma altura de 1,73, eu era mais baixa do que a maioria das garotas no negócio. Ainda assim, eu tentei, e como a maioria das coisas na minha vida, eu nunca desisti.

Demorou um pouco para eu ter estabilidade no negócio. Eu trabalhei duro para ser aceita pela comunidade da moda de uma forma além da minha aparência física. Porém logo eu me rendi ao processo de aprovação da indústria. Eu senti que precisava da validação de todos. Como resultado, eu perdi de vista eu mesma e o que significava ser feliz, o que significava ser bem sucedido. Eu acho que tudo resultou de um profundo sentimento de querer que as pessoas gostassem de mim e me amassem.

Quando você faz tudo o que pode para deixar as pessoas felizes com o seu trabalho, mas ainda existem pessoas que não estão felizes, você começa a pensar “Bem, eu dei o meu máximo. Eu fiz tudo. Eu me empurrei até o chão.” Você se sente como se estivesse constantemente desapontando os outros, e tem aquele momento em que você fica “Espera, o que eu estou tentando fazer? Para quem estou fazendo isso?”

Com o tempo, eu vim a perceber que o trabalho e receber a aprovação dos outros não é a coisa mais importante. Sim, sua carreira é muito imortante – mas não é o mais importante. É claro que eu estava orgulhosa das minhas realizações, mas eu não estava realmente feliz.

Eu tinha quase 20 anos e estive modelando por vários anos. Meu ponto de vista tinha mudado… e eu tinha mudado. Eu sabia que tinha que reavaliar minha vida e meus objetivos para meu futuro. Eu não queria levar a mal a moda ou o meu sucesso. O processo não aconteceu da noite para o dia, mas foi importantissimo para mim preservar a minha integridade.

Levou tempo, mas agora eu percebo que trabalho não é tudo e que sucesso vem em muitas formas. Eu abri a minha mente, e agora eu abraço coisas novas com uma curiosidade de criança. Estou gastando mais tempo fazendo as coisas que amo. E eu tenho sido capaz de fazer um trabalho melhor por causa disso.

Quando você está vindo de um lugar onde você vive apenas de trabalhar, nunca é tão bom quanto você quer que seja. Nunca é tão autêntico. Quando você tem equilíbrio em sua vida, o trabalho se torna uma experiência completamente diferente. Há uma paixão que te move para um novo nível de gratidão e satisfação e é aí que você consegue fazer o seu melhor… para você mesmo e para os outros.

Eu ainda tenho muito para aprender, mas eu percebi que julgar a mim mesma, me sentir culpada e lamentar os erros do passado só vai me segurar.

Afinal de contas, não importa quantas pessoas gostem de você e do seu trabalho, não importa se você não gosta de você mesmo.

Fonte: MOTTO

Traduzida por Natasha Camila Campi da equipe CDBR

Categories: Notícias