Cara Delevingne é rosto da revista The Edit, uma revista adjacente a NET-A-PORTER.

A revista é destinada ao mundo da moda, trazendo ao publico o que tem de mais novo e moderno nesse mundo fashion. A atriz e modelo além de ser o rosto da revista concedeu uma entrevista para a mesma, que deve chegar nas bancas ainda este mês.

Confira trechos já divulgados da entrevista de Cara Delevingne:

A modelo e atriz Cara Delevingne disse que a depressão que sofreu quando adolescente deixou uma sensação de que ela era alienada e suicida.

Delevingne, um dos rostos mais reconhecidos do mundo – ela liderou campanhas para Chanel e Burberry – falou sobre como ela era muitas vezes confundida com um menino quando era mais nova.

“Se eu usasse as roupas que eu gostava, com meus cabelos curtos, todos pensariam que eu era um menino. Eu odiava isso. Embora eu parecia um menino e agisse como um menino, eu não era um menino “, Delevingne disse à revista Net-A-Porter.

“E quando as pessoas diziam [aos meus pais],”Oh, seu filho é tão bonito”, eu pensaria, como você ousa dizer isso! Como, por que eu era vista como um menino?”

Ela acrescentou: “Eu sempre me senti muito estranha e diferente quando criança e esse sentimento era algo que eu não entendia, ou não sabia como expressar… Não era como se fosse uma alienígena, mas eu definitivamente sabia que havia algo estranho acontecendo”.

Delevingne foi aberta no passado sobre suas lutas com doenças mentais – ela teve uma queda aos 15 anos e foi tirada da escola – mas falou em maior profundidade sobre como o ambiente privilegiado em que cresceu nem sempre foi tão compreensivo sobre sua depressão . “Tantos dos meus amigos diriam: “Como você se sente?”E “Mas você é tão sortuda”, e eu seria como, eu sei, confie em mim, eu sei. Eu sei que sou a garota mais afortunada do mundo, eu entendo todas essas coisas, e eu gostaria de poder apreciá-las. Há apenas algo escuro dentro de mim que eu não consigo entender”.

“Fiquei alienada e sozinha, porque eu era tipo: o que há de errado comigo? Sempre quis que as pessoas me amassem, então nunca me enojei com elas; Voltei minha raiva para mim. Em vez de usar [minha] espada e escudo [para me proteger], acabei de tirar o meu escudo e me esfaquear.”

“Eu me odiava por estar deprimida, odiava sentir-me deprimida, odiava sentir”, lembra. “Eu fui muito boa em se desassociar completamente da emoção. E todo o tempo eu estava me adivinhando, dizendo algo e me odiando por dizer isso. Não entendi o que estava acontecendo além do fato de que eu não queria mais estar viva”.

Confira vídeo de Delevingne para a revista:

Confira todas as imagens de Cara Delevingne sincronizando com o álbum abaixo:

Cara Delevingne para revista The Edit